O ano não foi dos melhores para pecuária bovina do Brasil, somando crises fitossanitárias, perda grandes clientes na exportação, queda no trabalho registrado e até diminuição do consumo de carne do próprio brasileiro. Este último por diversos favores, entre os principais a perda do poder de compra.

Mas o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), estima uma melhora para o setor pecuário em 2018, porém, bastante atento. Conforme pesquisadores do Cepea, espera-se um cenário economicamente favorável neste ano, tanto na esfera internacional como na nacional, que pode beneficiar toda a cadeia da carne bovina.

No Brasil, a economia pode se recuperar, pautada na diminuição da taxa de juros, no controle da inflação, na relativa estabilidade do câmbio, na redução do índice de desemprego e na melhoria do PIB (Produto Interno Bruto). Esse contexto favorece o aumento do consumo geral da população.

Com uma projeção de crescimento do PIB nacional em torno de 2,7% (estimativa do Banco Central no encerramento de 2017), o Cepea calcula que pode haver aumento de 2,2% no consumo interno de carne bovina.

“As projeções otimistas, contudo, podem ser afetadas por fatores que hoje ainda estão incertos, requerendo, portanto, cautela e também ações de operadores do setor pecuário”, alerta o boletim.