O número de inseminações bovinas com sêmen Angus superou em 36% a utilização do sêmen Nelore PO, em 2017. Foram 2.300.358 doses de Nelore PO e 3.591.433 doses de Aberdeen Angus. Os dados são relatório nacional da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), publicado neste ano.

Luiza Mangucci, técnica da Alta Genetics

De acordo com Luiza Mangucci, técnica da Alta Genetics, empresa que lidera o setor nacional, explica porque o mercado e o pecuaristas têm dado preferência cruzamento com Angus.

“Temos diversos frigoríficos em diversas regiões que estão pagando a mais por animais com, pelo menos, 50% de grau de sangue angus, tivemos o mercado externo vindo buscar esse mesmo perfil de animais para exportação de boi vivo”.

Ainda diz que a qualidade da carne também contribui para esse direcionamento. “O pecuarista começou a enxergar esses animais como uma oportunidade de produzir animais precoces e com produção de carne macia e marmorizada”, destaca Luiza Mangucci.

CUSTO-BENEFÍCIO

O preço do sêmen taurino também é um atrativo. É, em média, mais barato em comparação ao Nelore. E ainda, uma grande vantagem do Angus é de que ele reduz, em média, sete meses o ciclo da pecuária. Esse tempo que reduz impacta diretamente no lucro do pecuarista. (Por Marcelo Martin/CR)