Cenario Rural

MERCADO SOFRE COM AUSÊNCIA DE SEMENTES DE PASTAGEM

unnamed

Atualmente, os agropecuaristas, estão enfrentando dificuldades para reforma e implantação de pastagens, pela falta de sementes de forrageiras no mercado. Hoje há escassez, principalmente de semente das variedades de panicum (Mombaça e Zuri) e um dos motivos que atrapalhou esta safra foi a condição climática no Brasil inteiro.

A época da seca (inverno) é marcada pela menor disponibilidade de água no solo e pela redução do fotoperíodo. Esses fatores dificultam a recuperação do pasto e afetam a produtividade dos animais. É preciso evitar que eles percam peso, pois na estação chuvosa qualquer ganho indicaria apenas a recuperação do que foi perdido.

Entretanto, cabe ressaltar que se o gado mantém ou ganha peso (ainda que pouco) no período da seca, já é uma grande vantagem, visto que seus índices de desempenho serão maiores na volta das águas.

Ressaltamos também, a crescente demanda de sementes de pastagem para utilização em sistemas de integração lavoura pecuária. O que tem aumentado consumo de sementes para produção de biomassa, rotação de cultivos e recuperação de áreas degradadas.

Dessa forma, quando o pasto não recebe o manejo correto para suportar o período da seca, o pecuarista corre o risco de não ter forrageira suficiente para fornecer ao rebanho tanto na seca, quanto no retorno das águas. Isso porque a vegetação pode não ter reservas suficientes para rebrotar e, nessas condições, inicia-se o processo de degradação.

Consequências

Diante disso, as revendas estão sofrendo e consequentemente o produtor. As sementes panicum e as braquiárias, são as sementes mais comercializadas, porque são as pastagens de maior volume de proteínas, mais palatável, e mais adaptável ao solo. Com isso ela se dá melhor na região de cerrado com a questão climática.

Para Kedma da Grão fértil, “A questão da falta de sementes tem muitos fatores. Primeiramente dos panicums porque houve problemas na questão de produtividade, não se colheu o esperado.  Faltou chuva, então não deu a na quantidade esperada. Teve queda de produção, e a maioria dos produtores tem que se segurar. Que o preço vai melhorar e é o pior de tudo isso é que cada ano que passa vem aumentando mais a procura. Então com isso é fica mais difícil essa questão, aí que aumenta quantidade de gente comprando. Então são poucas sementes no mercado pra poder atender”, comentou.

Por fim, é sempre bom lembrar que as tecnologias e as boas práticas de manejo de pastagens estão disponíveis para intensificar a produção e promover a prosperidade da fazenda. O produtor que não souber aproveitá-las corre o risco de ficar para trás na constante busca pelo aumento da produtividade e perder seu lugar no mercado.

 

Por: Francine Seixas, Cenário Rural

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *